Escolha uma Página

versos

 

Existem hoje ao menos três sites públicos que destinam considerável espaço à Literatura de Cordel, que divulgo a seguir. Os responsáveis por essas iniciativas no mundo digital merecem gratidão e reconhecimento.

Ressalto que o material predominante disponibilizado nesses sites é de produção antiga e não necessariamente reflete a amplitude da produção dos escritores de Literatura de Cordel da atualidade.

Aí estão os sites:

Casa de Rui Barbosa1 – Fundação Casa de Rui Barbosa http://www.casaruibarbosa.gov.br/cordel/

Conteúdo:

– Diversos folhetos digitalizados;
– Biografias de 21 cordelistas pioneiros, dividido em 1ª geração: Antônio Ferreira da Cruz, Francisco das Chagas Batista, João Melquíades Ferreira da Silva, Severino Milanês da Silva, Silvino Pirauá de Lima, José Camelo de Melo Resende, Leandro Gomes de Barros; João Martins de Ataíde; e 2ª geração: Manuel Camilo dos Santos, José Pacheco, Manuel Pereira Sobrinho, João Ferreira de Lima, Minelvino Francisco Silva, José Soares, José Costa Leite, José João dos Santos (Azulão), Raimundo Santa Helena, Rodolfo Coelho Cavalcanti, Manuel d’Almeida Filho, Francisco Sales Arêda e Gonçalo Ferreira da Silva;
– Um “vocabulário de cordel”
– Vastas referências bibliográficas acadêmicas, mas de 400, entre teses, dissertações, artigos, livros e recortes.

Como acessar:

Basta clicar no link ou colar a URL no seu navegador: http://www.casaruibarbosa.gov.br/cordel/

* Cumpre-me salientar que algumas das definições contidas no “vocabulário de cordel” do site se mostram defasadas como, por exemplo, os termos Literatura de Cordel e Literatura Popular.

Fundação Joaquim Nabuco2 – Fundação Joaquim Nabuco http://www.fundaj.gov.br

Conteúdo:

– 41 obras digitalizadas de cordelistas pinoneiros para visualização online ou baixar em pdf, a grande maioria de Leandro Gomes de Barros, constando também os autores João Melquíades Ferreira da Silva, Silvino Pirauá de Lima, Francisco das Chagas Batista e Firmino Teixeira do Amaral.

Como Acessar:

1 – Clicar no link ou colar a URL no seu navegador: http://www.fundaj.gov.br

2 – Clicar em “Acervo Digital” (no canto superior à direita do site).

3 – Procurar a palavra “cordéis” (um pouco abaixo do campo de busca vermelho) e clicar em “listar documentos”.

* Não funciona bem em smartphones android, tente por este link: http://www.fundaj.gov.br/index.php?option=com_wrapper&view=wrapper&Itemid=344

Domínio Público3 – Domínio Público http://www.dominiopublico.gov.br

Conteúdo:

– 40 obras digitalizadas, dentre ela folhetos de Leandro Gomes de Barros, João Melquíades Ferreira da Silva, Silvino Pirauá de Lima, Francisco das Chagas Batista, José Bernardo da Silva e de cordelistas contemporâneos como Crispiniano Neto e Guaipuan Vieira, e outros mais;

– Dentre os folhetos mais procurados estão: A Filha do Pescador, Uma Viagem ao Céu, O Valor da Mulher, A Mulher Roubada, A Chegada de Lampião no Céu e A Terrível História da Perna Cabeluda;

– 1 artigo acadêmico sobre as origens da Literatura de Cordel.

Como acessar:

1 – Clicar no link ou colar a URL no seu navegador: http://www.dominiopublico.gov.br

2 – Clicar na opção “tipo de mídia” (canto superior esquerdo do site) e marcar a opção “texto”.

3 – No campo abaixo, “categoria”, escolher a opção “Literatura de Cordel”.

4 – Clicar em “Pesquisar”

* A responsabilidade quanto aos direitos autorais nos sites listados é de seus gestores.

Aproveito e convido você a ler e-cordel A Origem do Repente!

Se você gostou e tem alguma dúvida ou comentário a fazer, curta, comente e compartilhe!

Um abraço!

João Santana

Email this to someone
email
Share on Facebook
Facebook
10É fácil compartilhar...